Ano ruim não justificam erros cruciais de arbitragem

É fato que o Palmeiras decepcionou durante o ano. Libertadores, que era o grande objetivo, acabou de forma melancólica em casa. Paulistão, Copa do Brasil também ficaram pelo caminho. Primeiro turno do Brasileirão uma lástima, principalmente em casa. Veio a demissão de Cuca saiu, Alberto Valentim assumiu e o time se reencontrou, para alguns meio tarde, para outros ainda com tempo para um possível deca campeonato/bicampeonato seguido. Entretanto, erros de arbitragem e lances mal-interpretados, que perseguem o Palmeiras há anos, voltam a prejudicar o desempenho do time em momento crucial.

Durante o ano, perdemos jogos de maneira justa, alguns em casa, durante o Brasileirão, porém, os dois últimos, que poderiam dar a liderança do campeonato para o Verdão, teve participação direta da arbitragem. Muito se falou em “esquema crefisa”, “patrocinadora comprando o bicampeonato”, entre outros. Mas a realidade é o Palmeiras é o time mais prejudicado pela arbitragem no campeonato. Vamos aos erros dos últimos jogos:

Palmeiras 2 x 2 Cruzeiro

Lance 1: o Cruzeiro vencia o jogo por 1 a 0, quando Keno foi lançado e, ao invadir a grande área, é puxado por Diogo Barbosa. Héber Roberto Lopes, o assistente de linha de fundo e o bandeirinha nada marcaram. Segue o vídeo:

Créditos: canal BDV Football

Lance 2: em cobrança de escanteio, Borja disputa bola com Manoel e faz o gol. Novamente Héber participa e anula o gol alviverde. Os dois atletas disputaram a bola usando o braço e Manoel valorizou, ou seja, gol mal anulado:

Créditos: canal BDV Football

Corinthians 3 x 2 Palmeiras

Lance 1: Romero recebe em posição de impedimento e completa para o gol, o assistente de fundo e o bandeirinha nada marcam e o árbitro Anderson Daronco confirma o gol:

Créditos: imagem da internet

Lance 2: Jô disputa bola com Edu Dracena e entra na área, o zagueiro perde o equilíbrio e cai, mas consegue tocar na bola. Jô mergulha e os mesmos assistente e bandeirinha, que não viram o impedimento no primeiro gol, marcam o pênalti e Daronco confirma:

Créditos: canal +Lances TV

Ainda durante o jogo, o volante Gabriel, que já tinha amarelo, saiu de campo para ser atendido. Sem autorização de Anderson Daronco, voltou ao gramado. O árbitro parou o lance e aplicaria o segundo amarelo e, consequentemente, o vermelho para o atleta, mas ao falar com o mesmo bandeirinha dos lances cruciais, voltou atrás e não expulsou o atleta. “Compensando” o erro de outro árbitro, neste mesmo clássico, disputado no Paulistão, por ter expulsado Gabriel equivocadamente? Nunca saberemos…

Para finalizar, o mesmo Jô, estava pendurado contra a Ponte Preta e poderia não disputar o clássico. Aos 49 minutos do jogo contra a Macaca, tentou forçar um pênalti (já merecia o segundo amarelo) e o árbitro nada marcou. Com isso, o atacante agrediu o zagueiro Rodrigo (agora merecia o vermelho) e o mesmo árbitro fingiu não ver nada e não aplicou sequer um cartão amarelo:

Créditos: canal Aqui é Futebol

Pois bem, o ano do Palmeiras foi ruim e muitos torcedores (ou todos) concordam com isso, entretanto, não dá para que erros como esses sejam aceitos de braços cruzados, ainda mais de forma seguida e em momentos cruciais para as pretensões do Palmeiras no campeonato. Lógico que o foco sempre foi o G4, pois a diferença de pontos ainda era considerável, porém, os torcedores e o próprio clube almejava algo maior mas os “erros pontuais”, se podemos assim chamar, atrapalharam essa busca. E não se pode justificar a existência desses equívocos por causa de um ano ruim, pois jogar abaixo das expectativas é uma coisa, jogar contra o adversário + arbitragem é outra bem diferente.

Deixe seu comentário:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.