Coletiva com Oswaldo de Oliveira

Após encerrar a preparação dos jogadores para enfrentar o Villa Nova, Oswaldo de Oliveira concedeu uma coletiva aos jornalistas na Cidade do Galo. Falou sobre o jogo de amanhã, a estreia na Copa do Brasil, atletas da base e em especial sobre a condição de alguns jogadores.

Se você não acompanhou não se preocupe, a gente está aqui para fazer um resumo pra te atualizar!

Para começar o técnico falou sobre o rodízio, que faz parte do seu planejamento para a temporada, entre a equipe principal e a reserva. “Principalmente para termos a chances de condicionar bem a equipe no início da temporada. Jogando com o intervalo de uma semana a gente tem tempo de recuperar e preparar novamente” destacou.

Disse também que esse rodízio pode ser um teste para jogadores como Pablo, Marco Túlio, Bruno e Alerrandro, e explicou dizendo que “Esses são jogadores que precisam de afirmação, precisam de oportunidade”.

Sobre o próximo jogo, contra o Villa Nova, Oswaldo destacou as dificuldades quanto às condições do campo, mas ressaltou que o time deve se habituar a conviver com as adversidades e procurar superá-las durante o jogo, “É nesse sentindo que estamos trabalhando” afirmou.

Ainda sobre os relacionados para jogar a terceira rodada do Campeonato Mineiro, ele destacou o bom aproveitamento da equipe reserva contra o Boa, que mesmo não fazendo gol conseguiu criar 8 boas oportunidades para marcar. Contra o Villa Nova o técnico deve repetir a mesma escalação que iniciou o jogo em Varginha.

    Relacionados para Villa Nova x GALO (Twitter @atletico)

Questionado sobre não estar relacionando o zagueiro recém contratado Maidana e o Luan, xodó da Massa, ele deu a seguinte explicação:

“4 jogadores, eles estão passando por um processo de treinamento especial. Cada um deles tem um planejamento, uma programação. Os dois que você citou, Luan e Maidana, mais o Felipe Santana e Carlos César, indubitável que os 4 tem condições de serem titulares da equipe principal do Atlético, mas cada por um motivo particular, especial e individual, está passando por um momento, por um planejamento de melhora principalmente física. O caso do Luan, é um caso mais acentuado porque ele tem, ele teve, uma lesão que exige muito mais cuidado que os outros. O Maidana é um jogador que recém chegado que também apresentava uma situação muscular, que precisa de algum cuidado e reparo. Menos do que o Luan por isso ele tem oportunidade de ir ao banco, por exemplo, se eu precisar que ele jogue 30 minutos, ele vai jogar bem, não vai ter problema nenhum. O Carlos César a mesma coisa, assim como o Felipe Santana”.

Sobre a transição dos jogadores da base para o profissional, ele citou a importância da preparação antecipada do atleta. “O amadurecimento para entrar na equipe, é uma coisa diferente. A gente segue acompanhando, observando, conversando, mostrando. Tendo oportunidade nos vamos utilizar. Só que com a paciência, que tem que me caracterizar. Respeito muito à ansiedade do torcedor, mas eu tenho um protocolo, eu tenho um condicionamento a seguir”.

Em relação a primeira partida válida para a Copa do Brasil (07/02) contra o chará Atlético-AC, o técnico disse que será a primeira referência dos resultados da pré-temporada, pelo tempo de treinamento até lá, por ser um jogo único, decisivo, fora de casa e que o GALO precisa vencer.

 

Deixe seu comentário:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.