Mercado do Futebol

Avaí: Que venha o Santos! Agora é final de campeonato!

Federico Tadeu/Avaí FC

O Avaí precisava vencer o Atlético Paranaense. E fez mais que isso, venceu o time do Paraná e também a arbitragem desastrosa do senhor Wilton Pereira Sampaio.

O Leão da Ilha teve boas chances de abrir o placar no começo do jogo, e botou o goleiro do Atlético para trabalhar. Com 2 minutos o volante Judson já havia finalizado por sobre o gol e aos 4 o goleiro da equipe visitante já teve que ir buscar uma bola no canto direito e pôr pra escanteio. E quando não foi o goleiro, foi à zaga quem botou a mão na bola, em um cruzamento do lateral direito Maicon aos 8 minutos de jogo.

O gol da equipe azurra saiu aos 15 minutos do primeiro tempo, após um belo lançamento de três dedos do camisa 13 Maicon para o Pedro Castro, que após jogada pela direita devolveu na entrada da área para o próprio Maicon meter na gaveta, sem chances para o goleiro Weverton.

O Atlético teve muita posse de bola, mas sem incomodar muito o goleiro Douglas, o que só aconteceu pela primeira vez com uma cabeçada para o chão de Eduardo Henrique aos 20 minutos do primeiro tempo.

No segundo tempo a grande chance do Avaí veio com uma cabeçada do Alemão, como manda na cartilha, com força e pra baixo. O goleiro adversário pegou a bola em cima da linha do gol. Mas não só de lances bons se viveu no segundo tempo na Ressacada. Aos 9 minutos, em uma bola no qual o jovem Lourenço estava de costas para o gol adversário, o talentoso atleta de uma lençol no adversário, se livrando de dois, após uma bobeira do zagueiro que fazia a cobertura o atacante do Avaí estava tomando a frente da jogada e saindo na cara do goleiro adversário, quando recebeu um golpe que o levou ao chão. Um pênalti não marcado pro Avaí. Pouco depois aos 12, em uma dividida na área no qual o zagueiro do Avaí foi à nocaute o árbitro Fifa Wilton Pereira Sampaio resolveu que aquele era o pênalti do jogo.

A presença da ambulância se fez necessária, pois o zagueiro do Avaí estava desacordado. Mas após retomar a consciência o bravo guerreiro azurra se recusou a deixar o gramado. Mas como alguns dizem, pênalti que não é não entra. Aos 16 o Fabrício isolou a bola.

Faltas para o Avaí cobrar próximo a área do adversário? Nenhuma! Nem mesmo após o tapa que o João Paulo levou por trás as 20 minutos da etapa final. Cartão amarelo para o visitante só saiu aos 44 do segundo tempo após o Thiago Heleno pegar o Alemão por trás para evitar mais um contra-ataque azurra. Ainda tivemos 6 injustificados minutos de acréscimo que viraram 10 e é uma chuva de cartões para o time da casa nos acréscimos. O único desfalque por cartão amarelo para a próxima partida é o volante Judson, que teve uma bela atuação na partida, pode até ter sido o melhor em campo.

Um jogo de muita entrega, com a cara do Avaí. Essa vitória deixa o Avaí vivo para a última rodada, precisando vencer o Santos, mas ainda precisando secar Sport, Coritiba e Vitória. Se dois desses três times perderam na última rodada, uma vitória simples bastará para garantir a manutenção do Avaí na série A do Campeonato Brasileiro. Existe alguma alma nesse mundo capaz de duvidar do Avaí?

Deixe seu comentário:

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.