104 anos de Paysandu Sport Club

Hoje 02/02 o Maior time do Norte completa 104 anos de fundação. Um dos times de maior torcida do futebol brasileiro, o Papão da Curuzu, como é carinhosamente conhecido, também é o maior detentor de títulos do futebol do Norte do país.

A História 

O clube nasceu a partir da convocação de pessoas interessadas na construção de uma equipe para rivalizar com o Remo, que viria a se tornar o maior rival Alviceleste. No dia 2 de fevereiro de 1914, aconteceu a convocação de uma Assembleia através do jornal Chronica Sportiva. Na matéria do veículo, foram convidados membros do Nort Clube, chamado de Time Negra, e outros interessados.

Hugo Manoel de Abreu, responsável por comandar o projeto, sugeriu o nome da nova equipe de Paysandu Foot-Ball Club, inspirado na batalha da Tomada de Paysandú, cidade do Uruguai. O primeiro jogo do Papão ocorreu no dia 14 de julho de 1914. Nesta partida, Hugo fez um gol de calcanhar numa cobrança de pênalti, com os bicolores vencendo por 14 a 3.

Para redigir o estatuto do clube a assembleia escolheu a seguinte comissão: Deodoro de Mendonça, Eurico Amanajás e Arnaldo Moraes. Não estando ainda organizados os primeiro e segundo times de futebol, a eleição dos respectivos “capitães” ficou para outra oportunidade. Por fim, a assembleia deliberou que o número de sócios não excederia 50 e considerou sócios fundadores os 42 participantes da reunião.

A segunda reunião realizou-se na data marcada, 10 de fevereiro de 1914, no mesmo local da primeira e com a presença de elevado número de participantes. Foi empossada a diretoria eleita, aumentando o número de sócios para 100 e foram considerados sócios fundadores, mais de 15 novos sócios que se filiaram ao Paysandu

Uniforme

Hugo Leão, em seguida, lembrou que fosse logo tratado o assunto “uniforme do clube” e imediatamente propôs: camisa azul e branco em listras verticais, o escudo do clube com as iniciais “PEC” a altura do peito, calção branco. Bayma de Moraes foi de opinião contrária, opinando pelo uniforme totalmente branco. O assunto ficou em suspenso porque a reunião, devido a hora, foi encerrada e marcada a terceira para o dia seguinte, no mesmo local, as 20:30.

Essa terceira reunião só se realizou a 19 de fevereiro de 1914 e na residência do presidente, Dr. Deodoro de Mendonça, na Vila Amazônia – Estrada de São Braz 30-E (a Estrada de São Braz, hoje, é a Av. Braz de Aguiar).

Considerando as duas outras, a terceira reunião foi a mais concorrida das três, muita gente e o assunto “uniforme do clube” foi logo posto em discussão, mas, de imediato, Mário Bayma de Moraes com a palavra, justificou e retirou o seu projeto, pedindo, pedindo, inclusive, que fosse considerado apenas o de Hugo de Leão. Ninguém mais se manifestou a respeito e o projeto Hugo de Leão foi aprovado por unanimidade.

A mudança de nome

Na terceira reunião, dia 19 de fevereiro de 1914, que o Paysandu, de “FOOT-BALL CLUB” passou para “SPORT CLUB”. Ao ser lido, para a assembleia, um ofício pedindo a filiação do Paysandu à liga Paraense de Futebol, surgiu a ideia da mudança, que, após acirrados debates, posta em votação, foi aprovada por maioria de votos. E assim surgiu o nosso muito querido Paysandu Sport Club: Que foi “FOOT-BALL CLUB” por 17 dias.

Títulos 

O Paysandu acumula inúmeras conquistas regionais e nacionais. No Campeonato Paraense, tem 47 troféus, um dos maiores campeões estaduais do Brasil. Em 1991, a primeira grande taça: a Série B do Brasileiro. Nos anos 2000, considerada uma das melhores fases da história do Lobo – mascote do time – foram conquistadas uma nova Série B (2001), além das Copas Norte e dos Campeões, ambas em 2002. O último grande título foi a Copa Verde de 2016.

Fase Atual

O Paysandu vive um novo momento administrativo desde 2013, na administração do presidente Vandick Lima, ex-jogador bicolor. Na gestão seguinte, Alberto Maia conseguiu melhorias do patrimônio Alviceleste, com a aquisição de um novo ônibus, construção do hotel concentração dentro do Estádio da Curuzu, criação da marca Lobo e a aquisição de um terreno para a construção do centro de treinamento. Agora com o atual presidente, Tony Couceiro, o clube tenta seguir sempre com melhorias das gestões passadas, sempre em busca de um Paysandu melhor. Além disso, o Papão tem se preocupado em pôr fim ao atraso de salários dos jogadores e outros funcionários, o que, automaticamente, evita novas dívidas trabalhistas. As antigas ações na Justiça do Trabalho estão sendo pagas através de acordos mensais, acabando com a prática de bloqueio de rendas e patrocínios, realidade que o clube viveu em anos anteriores.

O Paysandu tem este ano para disputar o Campeonato Paraense, Série B e Copa Verde. Ontem o clube foi eliminado da Copa do Brasil ao perder fora de casa em jogo único para o Novo Hamburgo-RS por 2 a 1.

Por Felipe Corrêa

Deixe seu comentário:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.