Mercado do Futebol

Retrospectiva 2017!

O Guarani estava comemorando o acesso à Série B do Brasileirão, em 2016, quando a diretoria Bugrina já iniciava o planejamento para a disputa do Paulistão A2. Ainda sob comando do ex-presidente, Horley Senna, o alviverde iniciou sua pré-temporada dia 2 de janeiro, visando sua estreia, contra o Oeste. Contando com as contratações e remanescentes, o Bugre montou seu elenco e entrou em campo inicialmente com Luis Henrique, Lenon, Diego Jussani, Philipe Maia, Gilton, Auremir, Escobar, Fumagalli, Samudio, Uederson e Maxsuel. Na estreia do campeonato, o Guarani bateu o Oeste por 2 a 1, com dois gols de Fumagalli.

Após seis jogos disputados e dentro do G4, o alviverde fez sua primeira mudança na comissão técnica. O experiente Ney da Matta deixou o clube e o novato Mauricio Barbieri, recém-saído do Red Bull Brasil, assumiu o cargo. Sem agradar e após meia dúzia de jogos sem conquistar bons resultados e consequentemente, saída do G4, houve uma nova troca na comissão técnica. Enquanto Barbieri deixava o comando, era a hora da volta de Vadão. O treinador conquistou 9 pontos em 3 partidas e recolocou o Guarani na briga pelo acesso.

Em meio a tudo isso, o alviverde sofria uma mudança na diretoria. Horley Senna acusou problemas pessoais e deixou a presidência que, mais tarde, Palmeron Mendes Filho assumiu e está até hoje no comando do Guarani.

Enfim, o sonho de conquistar o acesso a elite do Paulista, acabou. Em Batatais, o Bugre foi derrotado pelo placar mínimo e deu adeus a competição, sem alcançar o objetivo almejado. Dessa forma, o alviverde iniciou a preparação para a Série B do Campeonato Brasileiro.

Se o objetivo era a permanência na Série B, o elenco mostrou ao torcedor que poderia ir além, liderando a tabela em algumas rodadas, sob ótimo trabalho de Vadão. De 7 rodadas disputadas, o Guarani permaneceu 6 delas, dentro do G4 e como forte candidato ao acesso.

Após essa ocasião, o alviverde foi do céu ao inferno, os resultados positivos se tornaram raros, o time despencou para o meio da tabela e depois de perder para o Figueirense, a diretoria demitiu Vadão através da imprensa, sem ao menos anunciar ao treinador. Para assumir o cargo, o Bugre contou com Marcelo Cabo e o anunciou no mesmo dia da saída de Vadão.

Depois de conquistar 3 empates e nenhuma vitória em um mês inteiro, os dias de Marcelo Cabo estavam contados como treinador Bugrino. Após ser atropelado pelo Oeste por 3 a 0, o técnico deixou o clube sem vencer nenhuma partida. Lisca chegou para suprir a vaga.

Se no começo da Série B, o Bugre superava as expectativas e era candidato ao acesso, o clima era diferente sob o comando de Lisca. O treinador chegou como última esperança da diretoria para manter o alviverde na Série B e não decepcionar mais uma vez, a torcida, com outro objetivo fracassado. O treinador entendeu bem o recado, e após o empate sem gols, contra o Luverdense, no Brinco de Ouro, pode comemorar junto à torcida a permanência do alviverde no campeonato.

Com o fim da competição e com o objetivo de permanência conquistado, o Bugre iniciou as preparações visando a próxima temporada. Lisca deixou o comando Bugrino que foi suprido, posteriormente, por Fernando Diniz. O profissional chega ao Brinco de Ouro com uma ideia de futebol bonito para os jogos.

O Guarani se apresentará novamente dia 2 de janeiro de 2018, para fazer sua pré-temporada em Holambra e se concentrar em Jaguariúna. O alviverde estreia na competição dia 17, contra o Oeste, às 19h30, em Barueri.

Escrito por: Matheus Cruvinel.

Deixe seu comentário:

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.