Corinthians é surpreendido pela Ponte Preta e estreia com derrota no Paulistão.

Na noite de ontem (dia 17), o atual campeão da competição fez sua estreia diante da Ponte Preta, no Pacaembu. O Corinthians retornava ao Pacaembu, estádio que atrai inúmeras lembranças e que faz parte da história do Corinthians, pois o estádio foi a casa do clube por muitos anos.

Sobre o jogo 

Os treinadores mandaram seus respectivos times a campo com as seguintes escalações:

Corinthians – Cássio; Fágner, Balbuena, Pedro Henrique e Guilherme Romão; Gabriel, Rodriguinho e Jadson; Romero, Clayson e Kazim. 

Ponte Preta – Ivan; Emerson, Renan Fonseca, Luan Peres e Jeferson; Marquinhos, Tiago Real e Léo Arthur; Saraiva, Silvinho e Fellipe Cardoso. 

Primeira tempo – 

A partida começou de uma forma bem equilibrada, pois a Ponte Preta não optou pela estratégia de apenas se defender. A primeira chance clara de gol veio aos 17 minutos, Jadson recebeu de Clayson e bateu de primeira, Ivan espalmou e Kazim quase marcou no rebote. Aos 33 minutos, o camisa 10 apareceu na área novamente e acertou o travessão do goleiro Ivan, após receber lindo passe de Fágner. O Corinthians tentava imprimir seu jogo, mas enfrentava uma equipe bem organizada e compactada na defesa. Aos 43 minutos, Fellipe Cardoso recebeu o segundo cartão e foi expulso. O centroavante levantou demais o pé e acabou acertando o Cássio. Foi imprudente e expulso merecidamente, deixando a Ponte Preta com 10 jogadores em campo. Em suma, a primeira etapa foi de um ritmo bem lento. Natural por ser o primeiro jogo oficial da temporada. No entanto, o time da casa criou as melhores oportunidades e poderia ter saído com um placar mais vantajoso.

Segundo tempo – 

A equipe de Fábio Carille, como já era se esperar por conta da vantagem numérica em campo, iniciou propondo o jogo e pressionando a Ponte Preta, jogando sempre no campo de defesa ponte pretano. Aos 16 minutos, Carille trocou os pontas Romero e Clayson por Marquinhos Gabriel e Lucca, não mexendo no esquema tático da equipe. Aos 22 minutos, o que parecia improvável aconteceu, Felipe Saraiva fez jogada individual e acertou um lindo chute de canhota, sem chances para o Cássio. Após esse gol, a equipe da casa pressionava ainda mais, na base do abafa, enquanto a Ponte Preta se acuava. O time criou oportunidades mas não conseguiu chegar ao gol de empate. Desperdiçou um pênalti, batido por Jadson e defendido por Ivan, sofreu com a falta de oportunismo de Kazim e esbarrou num goleiro, embora jovem, seguro e fundamental para garantir a vitória ponte pretano. Guilherme Romão ainda foi expulso na parte final do jogo.

A Ponte Preta teve muitos méritos na vitória de ontem. Foi extremamente organizada e tentou encarar o Corinthians quando estava com igualdade número em campo. Eduardo Baptista sempre se notabilizou por montar equipes que possuem uma mínima organização. É um nome ideal para a reconstrução da Ponte Preta este ano e sua reformulação. Na escalação de ontem havia seis jogadores da base. E dois deles foram decisivos para trazer a vitória: o atacante Saraiva, que marcou um golaço, e o goleiro Ivan, que fez defesas importantes e defendeu um pênalti.

 

Deixe seu comentário:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.