Palmeiras se reforça menos do que em anos anteriores, porém está mais preciso

A Sociedade Esportiva Palmeiras ao todo fez sete contratações (incluindo o técnico) para a temporada 2018, além disso priorizou o sistema defensivo tão questionado neste ano

 

A palavra é equilíbrio de gastos no Palmeiras, o time que tanto investiu nos últimos anos, agora procura ser mais comedido. O problema em si não é o gasto, mas o número de contratações feitas que inchou o elenco e deixou muitos atletas sem oportunidades.

 

Roger Machado:

O treinador com passagens por Juventude, Grêmio e Atlético Mineiro é um dos estudiosos da nova geração. Apesar da discordância de parte da torcida no seu nome, ele tem passagens construtivas pelos clubes gaúchos, sendo que no Tricolor montou a base vencedora da Copa do Brasil 2016 e Libertadores desse ano com Renato Gaúcho, já no Jaconero fez parte da reconstrução da equipe que atualmente está na Série B. Já no Galo Mineiro alternou bons e maus momentos, a torcida alvinegra não tem muitas saudades do técnico.

Imagem: Tossiro Neto/Globo Esporte.

 

Weverton:

A priori é uma contratação desnecessária, pois Fernando Prass e Jaílson (que ainda não perdeu um jogo oficial) são nomes importantes para o elenco. No entanto, essa contratação foi pensada na renovação de time nos próximos anos, pois os dois atletas citados já estão próximos de uma aposentadoria. O contrato de cinco anos foi pensada nisso, o atleta mostrou nos Jogos Olímpicos que pode ser muito útil na meta alviverde e a torcida torce por isso. O goleiro Vinicius Silvestre saiu da equipe por empréstimo a Ponte Preta.

 

Marcos Rocha:

Um dos melhores laterais do futebol brasileiro agora é alviverde em uma troca com Roger Guedes (que já tinha clima mais para ficar no clube). Outros atletas foram também ao Atlético Mineiro (casos de Erik e Arouca), o que já diminui a folha do clube com encostados. Os laterais que estão no clube são contestados (Mayke e Fabiano), agora chega alguém com talento para ser titular (apesar do tempo curto de empréstimo, ou seja, um ano, será de grande valia nas disputas de 2018), Jean antes utilizado no lateral-direito poderá ser utilizado como volante.

 

Diogo Barbosa:

O atleta de desconhecido se tornou uma peça fundamental no Cruzeiro nesse ano, houve uma troca com o lateral-esquerdo Egídio (o que já é um ganho para o time, pelo que vemos a diretoria começou a trocar jogadores de forma inteligente). Será titular, pois os possíveis concorrentes da posição saíram, casos de Egídio (Cruzeiro) e Zé Roberto (que se aposentou dos gramados), o clube deve procurar um novo reforço ou utilizar o lateral-esquerdo Victor Luiz (emprestado esse ano ao Botafogo) como sombra ao atleta.

 

Lucas Lima:

O único jogador contratado do meio-campo para frente, o que mostra a preocupação defensiva atual (pois antes de armar um grande time do meio e ataque, é acertar os ponteiros da defesa). A torcida que antes detestava o atleta pela zoeira na época de Santos, agora tenta confiar nele para resolver os problemas de criação (apesar de terem Guerra e Moisés). Se estiver em boa forma e confiante pode ser um atleta que consiga êxito em 2018 fazendo muitas assistências e gols, além disso fazer parte de uma equipe vencedora.

Imagem: SE Palmeiras.

 

Emerson Santos:

Apesar de não ter sido apresentado de forma oficial, o time acertou a contratação deste promissor zagueiro, que chega para disputar vaga com Mina, Edu Dracena, Luan, Antônio Carlos e Juninho. A priori o jogador vindo do Botafogo vem para ser um reserva em potencial e aos poucos cavar a vaga entre os titulares e cravar seu nome na história do clube. É um reforço viável e interessante, contudo se precisa de mais um reforço para esta posição que tenha técnica para assumir a titularidade de forma irretocável.

Deixe seu comentário:

Jean Lucas

Criador do site Mercado do Futebol, jornalista em busca de aprimorar-se.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.