Mercado do Futebol

Isso não é uma partida de FIFA

Como diria o filósofo contemporâneo, teólogo e skatista profissional falecido Chorão: O impossível é só questão de opinião.

 

Viemos aqui hoje para contar a história de um time que começou a temporada visando apenas uma coisa: Se livrar do rebaixamento, fazer 40 pontos o mais rápido possível, e tentar se garantir na elite do futebol inglês por pelo menos mais uma temporada. Era esse o pensamento do Leicester e de seus comandantes ao começar as atividades na Inglaterra. Missão essa que por sí só não seria nada, nada fácil, visto a realidade financeira do clube e a dificuldade do campeonato.

Afinal, no que poderiam ajudar N’Golo Kanté e Riyad Mahrez? Vindos da segunda divisão Francesa a preço de banana com a missão de lutar contra grandes e qualificadas equipes no campeonato mais disputado do mundo? Afinal, no que poderia influenciar positivamente Claudio Ranieri? Colecionador de fracassos, que nunca ganhou nada além de copas nacionais?

”Sem Cambiasso esse time vai ser rebaixado no primeiro turno.”

”Com Ranieri já sabemos quem vai ser o primeiro rebaixado da Premier League”

Pois bem, iniciou-se a temporada, e o fraco e favorito ao rebaixamento começou a fazer atuações acima do que se esperava. Entre vitórias e empates permaneceu invicto até a sétima rodada.

E então veio o que todos já esperavam.

Em casa, o Leicester perdeu para o Arsenal por 5×2. Resultado normal para um time que até mesmo seus torcedores acreditavam que terminaria o campeonato nas últimas colocações, provando que as 7 partidas de invencibilidade e o futebol regular apresentado tinha sido apenas um lance de sorte. Aqueles que acreditavam que os ‘Foxes’ terminariam a temporada ao menos na metade da tabela, já se arrependiam do que falaram. Após uma goleada em casa, um time pequeno, sem expressão, que estava surpreendendo e se mantendo nas cabeças do campeonato, prato cheio para uma derrocada rumo à Championship, correto?

Sim, senhores, vocês estavam completamente ERRADOS

Após a derrota acachapante para o Arsenal, o simpático time da cidade de Leicester começou a fazer mais do mesmo: O inimaginável. Jamie Vardy começara o que seria o melhor momento de sua carreira, se bem que pra um cara que veio da quinta divisão e dividia seu tempo entre o futebol e uma fábrica no interior da inglaterra qualquer coisa seria especial.

Mas ele fez mais do que ”qualquer coisa”. No dia 28 de novembro de 2015, o ex-operário e jogador semi-amador de futebol quebrou o recorde de uma lenda do Campeonato Inglês. Jamie Vardy fez o gol no empate do Leicester contra o Manchester United no King Power Stadium e superou Van Nistelrooy marcando em 11 rodadas consecutivas do Campeonato Inglês. Se lembram da derrota pro Arsenal que para muitos seria o início do fim? Bem, foi o início de uma série de 10 jogos de invencibilidade, e a liderança da Premier League na virada do turno.

2 derrotas em 18 jogos para um time que já entrou no campeonato rebaixado para muitos? Nada mal. Porém, nada mais que um cavalo paraguaio, que na virada do ano perderia força e não iria nem para a Europa League. Realmente foi o que (QUASE) aconteceu. Na virada do turno, o time de Claudio Ranieri enfrentou uma série de 3 jogos sem vitórias. A antiga máxima do time pequeno que começou o campeonato a todo vapor e vai terminar no máximo na sétima posição começava a valer, correto?

Mais uma vez, senhores, vocês estão completamente ERRADOS!

Após a vitória contra o Tottenham em White Hart Lane, o simpático time azul começava a atrair as atenções para si. Poderia um time cujo todo o plantel custou menos que UMA grande contratação dos gigantes ingleses conseguir beliscar uma vaga nas competições internacionais? Poderia Vardy, Mahrez e Kanté, os mesmos que juntos não pagam o salário do pior jogador de Manchester City, Chelsea, Arsenal etc serem tão decisivos a ponto de levarem o patético Leicester à parte de cima da tabela? DESCUBRA

Chegamos às ultimas três rodadas da competição. E aonde está aquele time simpático que começou tão bem a temporada? Em terra de United, Arsenal, Chelsea, Manchester City e Liverpool, provavelmente, no máximo, sendo MUITO otimista, no meio da tabela, correto?

Errado

O time considerado por muitos rebaixado antes mesmo de jogar, hoje, nas últimas três rodadas do campeonato está classificado para a próxima edição da UEFA Champions League pela primeira vez na sua história. Impressionante, não é mesmo? Sim, mas não é tudo. O virtual rebaixado ainda na primeira rodada está há uma vitória de distância do primeiro título Inglês de sua história, do primeiro título nacional da carreira do FRAQUÍSSIMO Cláudio Ranieri, e do primeiro campeão Inglês inédito desde 1978. Kanté e Mahrez, que muitos de nós achávamos que seriam irrelevantes e que a essa altura não saberíamos nem seus nomes, hoje são destaques não só no Leicester, não só na inglaterra, mas sim no MUNDO. Jamie Vardy, que há quatro anos disputava a quinta divisão, hoje é titular absoluto no English Team, recentemente autor de um gol de LETRA na Alemanha de Neuer e um dos artilheiros do campeonato com 22 gols (e contando).
O improvável aconteceu. Atualmente, 7 pontos separam o Leicester do vice-líder, Tottenham, este que também merece menção honrosa pela belíssima e também impressionante campanha. Detentor do melhor ataque, melhor defesa e de um dos artilheiros do campeonato. Em outro momento mereceria o título com todos os méritos. Mas essa temporada provavelmente não vai dar (Insira aqui foto do Neymar chorando numa cadeira de rodas).

 

E não, isso não é o modo carreira do FIFA.

 

E como diria Everaldo Marques: VAAAAAAAAAAAAAI LEICESTERRRRRRRRRRR!

 

 

 

Deixe seu comentário:

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.