Mercado do Futebol

Entrevista com o goleiro Jhonatan, do Moreirense, de Portugal

Jhonatan Luiz da Siqueira, nasceu no dia 08 de maio de 1991 na cidade de São Miguel do Oeste-SC. Atuou por Joinville Esporte Clube e pelo Operário-PR, atualmente está no Moreirense (Portugal). Conhecido e reconhecido por suas belas defesas.

 

1- Nasceu no dia 08 de maio de 1991 na cidade de São Miguel do Oeste-SC. Sendo revelado no Joinville, para você qual é o melhor ponto do clube (estrutura ou torcida)? Como foi atuar durante muito anos na equipe?

R: Eu só tenho que agradecer ao Joinville por todos esses quase 10 anos que trabalhei lá, fiz grandes amizades, construí minha família ali, a cidade de Joinville também é muito boa de se viver, literalmente não nasci em Joinville, mas Joinville sempre será a minha casa. A torcida não tem o que falar, literalmente são apaixonados por aquele clube! O clube me deu todas as condições possíveis para que eu pudesse trabalhar todos os dias, os profissionais que ali estão são muito empenhados no que fazem, o Joinville hoje tem uma excelente estrutura!

 

2- Quais foram os principais momentos com a camisa do JEC? Como vê o atual momento do time e a permanência da Série C? Como foi conquistar a Série B em 2014?

R: No Joinville nesses quase 10 anos, tive vários momentos bons, mas um deles, e eu acho que pra todo jogador é a sua estreia, ninguém esquece! Isso ficará pra sempre guardado em meu coração foi meu primeiro jogo como profissional, na época eu tinha 21 anos, e foi pelo campeonato Catarinense 2012, jogamos em casa, a torcida lotou a arena e foi em um clássico, ganhamos de 3×0 diante do Criciúma!

Pelo tamanho do clube, da cidade e da enorme torcida que o Joinville tem, eu estava torcendo muito para que o time subisse para a série B, porém sabemos que é assim que o futebol! Uns tem seus dias de glória, e outros seus dias ruins, e infelizmente o Joinville neste ano não conseguiu o acesso! Mas tenho certeza que em breve esse clube subirá! O título da série B de 2014, já mais vai ser esquecido por mim, e nem pelo torcedor do Joinville, foi a mais conquista da história do clube, não jogue aquela época, mas tive o prazer de participar desse momento inesquecível!

Foto: Beto Lima/JEC.

 

3- Teve uma passagem pelo Operário-PR onde foi titular e se destacou. Descreva sua ida ao clube paranaense? Como viu a questão do acesso da equipe para Série C e o título da quarta divisão?

R: Sim, em no final de 2014, o clube estava com o pensamento de me emprestar, até para poder ter um ritmo de jogo, então começamos a procurar um clube, e fui indicado para treinador do Operário na época! E assim o operário entrou em contato com a diretoria do Joinville pedindo informações sobre mim, então eles se interessaram e acabei indo pra lá com um empréstimo até o final do campeonato paranaense de 2015! E a partir Dali, que as coisas foram dando certo na minha vida profissional, sou muito grato pelas pessoas que conheci naquele clube, diretoria e toda a torcida do Operário! Foi um momento inesquecível em minha carreira também, porque podemos dar a aquela cidade e aos torcedores o primeiro título do clube! Foi maravilhoso! Fiquei muito feliz pelo acesso a série C e pelo título também! O Operário merecia esse acesso, a cidade é apaixonada por aquele clube, e eles estavam nessa briga pelo acesso já faziam 2 anos!

 

4- Esse ano conseguiu a primeira oportunidade fora do Brasil. O Moreirense, de Portugal, sendo titular, para você quais as suas perspectivas para a temporada tanto pessoalmente, como para o time?

R: Hoje eu atuo pelo Moreirense aqui de Portugal era um grande sonho meu de poder jogar na Europa, fiquei muito feliz por essa oportunidade, feliz também por poder jogar em uma 1° divisão de um Campeonato tão importante é tão competitivo. Pretendo a cada jogo ir me firmando como titular e podendo ajudar ao Moreirense a permanecer na primeira divisão, pois é o primeiro objetivo do clube! Depois tentar conquistar as outras competições aqui como a taça da liga, aonde o Moreirense foi campeão na época passada 2016-2017, a Taça de Portugal, liga Europa e quem sabe ser campeão Nacional!

 

5- Para você, como foi a adaptação ao novo clube e ao novo país? Quais as principais diferenças entre o futebol brasileiro e português? O que poderia ser implementado ao futebol brasileiro se comparado ao futebol de Portugal?

R: Minha adaptação foi muito boa aqui, tive poucas dificuldades, mas com os treinamentos e jogos foi me encaixado ao estilo de jogo aqui em Portugal! Futebol aqui é mais rápido, dinâmico e muito organizado! Aqui os guardas redes (como fala aqui goleiros) tem que estar atento a todo o momento durante o jogo, os goleiros aqui trabalham bastante com os pés, e tem que estar sempre atento a possíveis coberturas dos zagueiros (trabalhar de libero). Umas das coisas que seria muito bom adaptar no Brasil seria as viagens, aqui nossas viagens não são tão desgastante, pois são viagem de pouca duração, mas como o Brasil é muito grande isso seria quase que impossível!

Outra coisa aqui que seria muito bom no Brasil são os calendários de jogos! Maioria dos jogos aqui são entre um período de 5 a 6 dias, isso de tá uma semana cheia tanto para descansar pós-jogo, como também te dá condições de treinamentos, para poder ajustar com mais tempo alguns detalhes, no Brasil um exemplo (série B) você joga na sábado, mal você se recupera e já tem que viajar no domingo para jogar na terça-feira!

 

6- Diga-nos um sonho que ainda não realizou no futebol, e achas que ainda tem condições de realizar até o fim de sua carreira?

R: Uns dos meus sonhos era jogar na Europa, e graças a Deus eu consegui! E o outro provavelmente é o sonho de todo o jogador brasileiro, que é um dia poder vestir a camisa da Seleção Brasileira.

Foto: Operário de Ponta Grossa.

 

7- O goleiro é uma posição muito diferenciada no futebol. Se acertar, é ídolo, mas se errar é julgado. O que teria para falar a nova geração de arqueiros formados no país? Como é ser goleiro atualmente?

R: Isso é verdade, o goleiro pode ir de herói a vilão em questão de pouco tempo! Mas eu já estou bem maduro sobre essas situações, com o tempo vamos amadurecendo e aprendendo. Então o que eu poderia dizer aos nossos futuros goleiros, é que primeiro, eles tem que amar o que faz, só assim eles darão o seu melhor, porque quando você faz o que ama você se dedica ao máximo por aquilo!

E segundo é de saber que nessa vida nós independente do clube, cidade ou país (porque o futebol é assim faz com que a gente deixe nossas casas muito cedo) independente de todas essas circunstâncias temos que enfrentar no futebol, é nunca perder a fé em Deus, de que você pode sim, se tornar um grande jogador de futebol! Existe uma passagem na Bíblia em (Marcos 9:23) que Jesus fala “Tudo é possível ao que crê“  então basta somente acreditar que vai dar certo e trabalhar muito!

 

8- Uma mensagem aos colunistas e leitores do site mercadodofutebol.net.br?

 

Deixe seu comentário:

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.