O futebol passou de esporte para indústria cultural

Todos sabemos que o futebol não nasceu aqui em nosso país, mas ao longo do tempo recebemos a identidade de país do futebol. O que pouca gente sabe é o por que de o futebol ter virado cultura em nosso país. Para entendemos melhor como nosso futebol virou indústria, explicarei agora pra vocês como ele virou cultura.

Pra quem adora aula de histórias gerais com certeza já passaram horas pesquisando sobre as guerras mundiais que tivemos no século passado, logo, sabemos que nosso país serviu de “abrigo” para tropas americanas, eles se instalaram no nordeste do país considerando um local estratégico e trouxeram antenas de rádio para instalar em seus acampamentos. Na época, o principal meio de comunicação era o rádio, que transmitiam partidas de seus campeonatos regionais, graças a essas antenas o futebol começou a ser transmitido no nordeste do país, logo o futebol foi viralizando e fascinando o povo brasileiro em cada canto do país, despertando o interesse de muitos pela pratica do esporte, e revelando talentos que até hoje são difíceis de serem superados. O sucesso foi imediato nos gramados, tivemos seleções de extrema técnica e categoria, que encantou todo o mundo e passaram a admirar nosso futebol, nos batizando como o país do futebol.

Assim como toda cultura de massa o futebol começou a despertar interesses financeiros, mundialmente popular, não demorou muito para que investidores apostassem suas fichas no esporte. Hoje, o esporte move bilhões por ano, e é desejo de profissão de muitos garotos e garotas.

Não dá pra negar que o futebol muda a vida de qualquer pessoa que queira seguir adiante na profissão, o que era visto antes apenas como um esporte, hoje mexe com a cabeça dos atletas. Em meados do século passado, o sonho de qualquer jogador de futebol era vestir a camisa da seleção do seu país para representa-lo mundialmente, já hoje diversos fatores desviam esse sonho dos jogadores, principalmente aqui no Brasil.

Nós perdemos a essência do nosso futebol a partir do momento em quem não nos preocupamos com o futuro do esporte, quando pensaram apenas em produzir bom futebol sem pensar em como garimpar os talentos que temos em nosso terreno. Hoje se vc perguntar para uma criança por qual motivo ela quer ser jogador de futebol, ela irá responder que quer ajudar sua família, ter bastante dinheiro, e esses fatores que mudam a vida financeira de uma pessoa, antes se você perguntasse a uma criança o motivo de querer ser um jogador de futebol, ela responderia que era para defender as cores do seu país no futuro.

Você vai se perguntar “mas o futebol virou indústria não só aqui no Brasil, pq não atinge os outros países referências no esporte?”, ao contrário do Brasil, os outros países, principalmente europeus, se planejaram para este momento do futebol, conseguiram passar para os jovens que começavam a pratica do esporte qual era o prazer do futebol. Por isso, o Brasil hoje apesar de ter talentos, não consegue desenvolver bom futebol, antes de chegarem a seleção eles já recebem milhões em seus respectivos clubes, e muitos desses atletas não sentem o amor e o desejo que um Pelé já sentiu, que um Falcão já sentiu, e que um Zico sentiu.

Organização e planejamento, essas são as palavras que seriam fundamentais pra evitar o que nosso futebol está passando hoje, espero que não seja tarde para resgatarmos a identidade que um dia foi nossa. País do futebol? Já fomos um dia, hoje estamos correndo atrás para concertarmos os nosso próprios erros.

O erro não está nos atletas que estão querendo sustentar suas famílias ou mudar sua vida, o erro está nos que o fizeram chegar até o futebol profissional com esse pensamento, botando todos esses fatores financeiros acima da pratica do esporte. Se um dia voltaremos a ser o país do futebol, só a sabedoria dos que profissionalizam os atletas que vai dizer, mas do jeito que caminhamos em passos lentos, vejo esse futuro bem distante.

Deixe seu comentário:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.