Com suor e sofrimento, Remo estreia com vitória na Série C

O Remo entrou em campo na noite deste domingo (14) para fazer a estreia na Série C contra o Fortaleza. Expectativa para conhecer os novos contratados e com a esperança de que o novo time fosse bem melhor que o do estadual.

O mais querido estreou 8 jogadores ontem, o entrosamento ia ser um problema claro de antemão, mas o time foi muito mal apesar da vitória. O torcedor foi em bom número para conhecer esse novo Remo e saiu feliz, mas preocupado.

Josué colocou o time no mesmo esquema que vinha atuando, o 4-3-3. Já o Fortaleza entrou no 4-1-4-1.

 

O JOGO

            A partida começou com as duas equipes se estudando, o Fortaleza se manteve atrás, oferecendo a posse de bola para o Remo. Já o time azulino, não conseguia sair no toque de bola, muito por conta do desentrosamento, mas também pela falta de povoamento do meio campo.

Assim, o Remo não encontrava espaço e ficava tocando a bola até um dos zagueiros fazer ligação direta. Quando tentava ir pelo meio, perdia a bola e oferecia contra-ataques ao time cearense.

O Fortaleza não tinha nenhum atacante de oficio, o seu único ofensivo no jogo era  Leandro Lima, um meia improvisado, então, naturalmente, acabava recuando para receber a bola na frente dos zagueiros. Com isso, o time cearense, que tinha 4 jogadores povoando o meio campo, acabava, na prática, tendo 5 jogadores naquele setor.

Esta situação acabou prejudicando ainda mais a criação do Remo, visto que o time azulino só contava com 3 jogadores no setor. Edgar e Mikael teriam que recompor na marcação, mas não conseguiam. Assim, o Fortaleza passou a ter o amplo controle do jogo.

O Remo então, só conseguia fazer alguma coisa produtiva quando Edgar recebia a bola pelo lado esquerdo e fazia jogadas individuais. Fora isso, o Remo não apresentava nenhuma variação para chegar ao gol adversário. Danilinho, que teria a função de armar, estava muito discreto.

Já o Fortaleza tinha a bola, mas não sabia o que fazer com ela, não havia nenhum jogador para prender os zagueiros do Remo e o time se limitava a tocar a bola de lado. Quando tentava ser mais vertical, utilizava o lado esquerdo com Everton, mas pouco produzia.

O jogo todo manteve este cenário, ficando monótono, com quase nenhuma chance de gol, tudo se encaminhava para o 0x0. Até que o Fortaleza percebeu que o Remo ainda apresentava muitas dificuldades e resolveu ser mais vertical para buscar a vitória.

A torcida sentiu que o time precisava dela mais do que nunca e resolveu empurrar, começou a cantar sem parar. Um espetáculo para quem estava no estádio. A torcida foi realmente a energia que o time precisava.

O Remo melhorou com o grande apoio vindo das arquibancadas, ajustou o seu posicionamento no segundo tempo, conseguiu sofrer sem levar gol. E viu o adversário oferecer mais espaços para o contra-ataque. Edgar era arma certa para esse tipo de situação.

Aos 27 minutos da etapa final, após uma blitz de ataque do Fortaleza, o Remo conseguiu tirar a bola no chutão, o zagueiro adversário falhou e a bola sobrou pra Edgar correr em direção ao gol. Ele foi mais rápido que Ligger e esperou receber o toque dentro da área, o zagueiro empurrou e o juiz marcou o Pênalti. Nino guerreiro foi para a cobrança e fez. Remo 1×0.

O gol não alterou em nada a forma das equipes jogarem, apenas o Remo ficou ainda mais defensivo, se limitando a marcar. Josué colocou Gabriel e Jayme no time, justamente para dar fôlego na marcação dos lados do campo. O jogo se encaminhou sem grandes lances de perigo até o árbitro encerrar a partida.

Vitória magra, dentro de casa e jogando mal, o torcedor saiu feliz pelos 3 pontos conquistados, mas muito preocupado com o que o Remo apresentou.

Josué terá uma semana de trabalho agora para melhorar a parte tática da equipe, precisa haver evolução rodada após rodada, para que a torcida passe a confiar mais no elenco.

Uma coisa não resta dúvida: o Remo vai precisar suar muito para conquistar o tão sonhado acesso. Se só o suor e sofrimento for o bastante para alcançar o objetivo, então que assim seja.

 

 Por Rodrigo Patrazana

 

FICHA TÉCNICA

Local: Mangueirão – Belém (PA),

 

Árbitro: Antonio Neuriclaudio R. Costa – AC

Assistentes: Rener Santos de Carvalho – AC e Roberto Soares dos Santos Júnior – AP

Cartões Amarelos: Remo-PA: João Paulo

Gols: Remo-PA: Nino Guerreiro 28′ 2T

Remo-PA

Vinicius;
Daniel Damião, Henrique, Bruno Costa e Tsunami;
João Paulo, Marcelo Labarthe e Danilinho (Kaio Wilker);
Mikael (Gabriel), Nino Guerreiro (Jayme) e Edgar

Técnico: Josué Teixeira

Fortaleza-CE

Marcelo Boeck;
Felipe, Heitor, Ligger e Bruno Melo;
Anderson Uchôa, Rodrigo Mancha, Adenilson (Cássio Ortega), Pablo e Éverton (Wesley);
Leandro Lima (Hiago)

Técnico: Paulo Bonamigo

Deixe seu comentário:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.